Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Não quero deixar de ser criança

01.06.21 | Alice Barcellos | ver comentários (8)
Não quero deixar de ser criança Quero continuar a olhar para tudo com olhos curiosos Não quero que o mundo se torne cinzento Quero desenhar arco-íris e árvores frondosas nos meus cadernos Não quero ficar com medo de água fria, nem deixar de andar descalça Não (...)

Paz

25.05.21 | Alice Barcellos | ver comentários (2)
A paz é branca mas poderia também ser azul Tão pura como a pomba que voa ou a onda que se desmancha Entra-nos pela alma como o vento entra por uma janela aberta Não pede licença, mas sentimos quando chega Sentimo-nos em paz e a felicidade parece mais fácil Mais palpável Sentimo (...)

Os mistérios da Terceira

30.04.21 | Alice Barcellos | ver comentários (8)
A Terceira fez-me viajar pela origem de tudo. A começar pelos nomes. Para quem gosta de viajar pelas palavras, como eu, a Terceira é uma delícia, tal como o doce de vinagre, cujo nome despertou logo curiosidade*. “Aqui nos Açores, gostamos de simplificar os nomes”, (...)

Primavera

20.03.21 | Alice Barcellos | ver comentários (8)
Perguntaram-me o que era a poesia Não soube responder Senti que deveria escrever Porque como uma flor que começa na terra A poesia começa nas palavras Será mesmo assim? A poesia começa antes das palavras Nessa mesma flor, nessa mesma terra No céu, no mar, no pássaro (...)

Pequena história sobre igualdade

08.03.21 | Alice Barcellos | ver comentários (4)
Era uma vez um mundo perfeito habitado por seres imperfeitos. Nasceram como todos os animais, macho ou fêmea, mas com um cérebro para pensar. Podiam ter pensado em ser iguais, mas não. Era mais fácil pensar em explorar, escravizar, violentar. E assim fica marcada a sua (...)

O meu reino

01.03.21 | Alice Barcellos | ver comentários (5)
O meu reino é feito de areia e água Talhado pelo sol e pelo vento Espaços abertos onde se dissolve a mágoa Fechando os olhos se perde a noção do tempo   Aqui os castelos são movediços Dunas que se deslocam devagar Descalça, não há sentimentos postiços Caminha-s (...)

As cores do inverno de Amesterdão

26.02.21 | Alice Barcellos | ver comentários (6)
Enquanto conduzíamos a partir de Roterdão, a neve caía em flocos pequenos e das janelas do carro só se via branco. Amesterdão recebeu-me assim, fria, com neve acumulada nos bancos das centenas de bicicletas estacionadas em frente à Estação Central. Rapidamente, (...)

O retrato

24.02.21 | Alice Barcellos | ver comentários (4)
"Sente-se aqui, minha filha". A menina sentava-se, tentando ficar quieta para o retrato, o que não era fácil quando se tem dez anos. Do outro lado, a avó, compenetrada, afiava o lápis de ponta macia que escorregava bem no papel. Depois, levantava o lápis no ar, na (...)