Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Pegadas na areia

28.03.19 | Alice Barcellos

Está limpa quase plana a areia quando chegas

Do alto das rochas olhas para as ondas

que alisam aquele chão construído de infinitos pedaços

de rochas, conchas, corais e tudo o que por lá habita

se desfaz e renova há tanto tempo que não dá para contar

Na primeira pegada vês o desenho dos teus pés

Sentes o afundar na areia fria 

Durante frações de segundos o teu corpo lembra-se

da primeira vez que sentiu a areia em contacto com os pés

Sorris sem saberes o motivo e continuas a caminhar

As pegadas são o único rasto que deixas pelo caminho

e quando vieres para trás já não o vais encontrar

O mar vai guardar os teus passos

quando a maré subir e o crepúsculo engolir

o último raio de sol

E sem que saibas e nunca chegues a pensar nisso

também serás um bocadinho

daquele chão movediço

IMG_0329.JPG

IMG_0321.JPG

Douro na primavera: um prazer que não se explica

26.03.19 | Alice Barcellos

O Douro encanta em qualquer altura do ano. No outono, as folhas ganham inúmeros tons de cobre, vermelho ou laranja, criando um cenário quente nas vinhas que se debruçam sobre o rio. No inverno, a paisagem fica mais árida e as serras envolventes podem ficar pintadas de um manto branco. No verão, o calor é intenso e a região prepara-se para a época mais importante do ano: as vindimas. Na primavera, o Douro é florido, flores silvestres aparecem em cada canto e recanto, à beira das estradas, nos jardins e miradouros.

 

Entre fevereiro e março, o espetáculo das amendoeiras em flor antecede o espetáculo da primavera, que faz florescer um dos vales mais belos do mundo. O Douro é, acima de tudo, natureza. E uma harmonia perfeita entre a natureza e o trabalho de séculos esculpido pelo homem. "Um poema geológico", como tão bem descreveu Miguel Torga.

 

Uma escapadela de alguns dias pode ser a lufada de ar fresco que necessita para quebrar a rotina e o Douro é um dos locais mais encantadores para isso. À paisagem única, alia-se a boa gastronomia, boas unidades hoteleiras e pessoas hospitaleiras.

 

Há mais um "pormenor" que encanta sempre que visito a região: as estradas. Percorrer as curvas e contra-curvas das estradas e estradinhas que cortam as montanhas em socalcos é um prazer que só o Douro, com os seus caminhos bonitos, consegue dar. 

 

Pelo percurso, vamos parando: uma singela casa de pedra ali; um campo florido acolá; uma vista magnífica para o rio plácido a cortar o verde dos montes; um bouquet de flores brancas a salpicar a paisagem. O olhar tenta abarcar tudo, mas há sempre mais montes e rio além. O vento sopra e é de cabelos revoltos que me sinto integrada, mas tão pequenina, nesta paisagem esmagadora. Um recanto muito especial para o qual penso sempre em voltar... nem que seja através de fotografias e memórias.

 

IMG_0879.JPG

IMG_0885.JPG

IMG_0892.JPG

IMG_0897.JPG

IMG_9195.JPG

IMG_9200.JPG

IMG_9221.JPG

IMG_9244.JPG

Se estiverem a planear uma viagem ao Douro, vejam aqui este dossier especial com muitas dicas e informações úteis.

Feministas: retratos da manifestação do 8 de Março no Porto

09.03.19 | Alice Barcellos

Já aqui havia dito que o Dia da Mulher continua a fazer sentido para reforçar a luta pela igualdade, respeito e dignidade das mulheres por este mundo fora. É bom saber que cada vez mais pessoas alinham nesta causa, como foi possível constatar neste 8 de março de 2019 no Porto. Uma manifestação muito bonita que mostrou o poder das mulheres. Partilho aqui o meu registo fotográfico.

1.jpg

2.jpg

3.jpg

4.jpg

5.jpg

6.jpg

7.jpg

8.jpg

9.jpg

10.jpg

11.jpg

12.jpg

13.jpg

14.jpg

15.jpg

16.jpg

17.jpg

18.jpg

19.jpg

 

É (só) uma questão de igualdade

07.03.19 | Alice Barcellos

Entristece-me que o Dia da Mulher seja cada vez mais explorado comercialmente como uma data em que as mulheres devam ser bem tratadas. Que se ofereçam flores nos centros comerciais, nos ginásios ou nos locais de trabalho. Que se façam promoções de perfumes, roupas e tratamentos estéticos. Tal como outras datas, este dia é utilizado como mais uma ferramenta da sociedade de consumo para vender coisas.

 

De ano para ano, tenho visto o aumento deste aproveitamento que só ajuda a reforçar a imagem da mulher fútil e frágil que merece receber flores e chocolates do marido. Nada contra que os casais possam demonstrar o afeto de várias formas, mas o Dia da Mulher não é, de todo, feito para isso. Não deveria ser este o foco. Não é para os homens agradecerem às mulheres de suas vidas, para isso têm o Dia da Mãe.

 

O Dia da Mulher é sobre igualdade e luta. É sobre pessoas que lutaram muito para que hoje em dia, em alguns lugares do mundo, as mulheres pudessem ter os mesmos direitos do que os homens. Ainda há quem fique revoltado com esta ideia, a de que somos todos iguais e, por conseguinte, merecemos tratamento igual nos diversos quadrantes sociais. Enquanto houver indignados com esta ideia, convém não esquecer o real significado desta data.

 

O título deste texto justifica tudo. No Dia da Mulher é preciso dizer que o feminismo é necessário por ser uma questão de lutar por direitos iguais e por melhores condições de vida para as mulheres. Por respeito. Não é só em Portugal, não é só na Europa. É no mundo, já que é de longe que nos chegam os piores exemplos das desigualdades que existem entre masculino e feminino. Mas engane-se quem pensa que elas não existem bem perto de nós.

feminismo.jpg