Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Como lidam com os comentários maldosos no vosso blogue?

16.10.20 | Alice Barcellos

Pensei bastante se deveria ou não escrever este texto, uma vez que, ao fazê-lo, estou a dar importância a um tema que, talvez, não a mereça.

Ainda assim, decidi avançar porque comecei a questionar-me que, tal como eu, existem outros bloggers que devem passar pela mesma situação. Portanto, este texto pode servir para um debate saudável de ideias e para a troca de experiências. E não é isso que procuramos quando escrevemos algo e tornamo-lo público?

Escrever é uma das grandes paixões da minha vida. A arte da escrita é uma das mais sublimes e difíceis... Necessita de dom e disciplina. Cada palavra é mágica e carrega consigo inúmeros símbolos. Cada frase composta é um pensamento transformado em realidade. Cada texto escrito é um pedaço meu que existe com mais intensidade. Escrevo, logo existo...

Este foi o primeiro post que fiz num blogue, no meu primeiro blogue. Em março de 2006. Tinha entrado para o curso de Ciências da Comunicação e Jornalismo da Universidade do Porto e o Escrevo Logo Existo era o meu diário, o meu escape, onde publicava os meus primeiros poemas, reflexões, crónicas, partilhava textos que gostava e, acima de tudo, onde escrevia quase sem filtros. Tinha 19 anos e todos os sonhos e ilusões do mundo.

Ao longo destes anos, o mundo mudou tanto e a forma como comunicamos online também. Surgiram as redes sociais e muitos disseram que os blogues iriam deixar de existir, mas a verdade é que eles continuam bem vivos, veja-se pela comunidade que existe aqui nos SAPO Blogs.

Quando comecei a trabalhar como jornalista no SAPO, resolvi criar um blogue aqui na plataforma e deixar de escrever no meu primeiro. Desde então, de forma mais ou menos regular, fui mantendo este exercício fascinante que é escrever e publicar num espaço mais pessoal do que, apenas, nos sites noticiosos para onde vou escrevendo enquanto jornalista.

Ao longo destes anos, houve algo que nunca mudou, infelizmente: os comentários maliciosos e ofensivos que temos de encarar por esta internet fora. É verdade que quando escrevemos e publicamos temos de estar preparados para ouvir críticas e ler comentários menos bons. O que eu me questiono é porque é que certas pessoas se dão ao trabalho de comentar de forma anónima sem acrescentar nada de válido, atacando direta ou indiretamente a pessoa que escreveu?

Escrevo sempre de coração aberto, tentando chegar, desta forma, ao coração das pessoas que me leem. O meu caminho vai sempre no lado do bem e fico um pouco desarmada quando apanho comentários depreciativos e maldosos, apesar de já levar com eles há muitos anos. Criei uma carapaça a este género de comentários que também contribuíram para aumentar os filtros na hora de escrever. Enquanto editora, já lidei com situações bem desagradáveis a nível profissional, de ter num site comentadores a atacar, em específico, um autor. Ignorar foi sempre a melhor forma de resolver estes casos.

Foi por conta destes comentários ressabiados - e dos racistas, machistas e extremistas que também gostam de destilar o seu ódio frustrado - que resolvi ter a aprovação prévia de comentários no meu blogue. Creio que seja uma boa forma de filtrar aquilo que realmente interessa. Aquilo que acrescenta. Às vezes, dou-me ao trabalho de aprovar e responder, acabando, sempre, por constatar que aquele comentário não acrescentou nada de positivo. Só dei tempo de antena a quem não merece.

Num mundo perfeito, em que as pessoas se respeitassem e soubessem o que é empatia, não precisaríamos de estar a falar sobre isso. Mas o mundo não é perfeito e está longe de o ser. Às vezes, cansa empurrar certos comportamentos (e comentários) sujos para debaixo do tapete. Precisamos de falar sobre eles. Expô-los. Principalmente numa altura em que o mundo está cada vez mais dividido e que muitos encaram como normal insultar de forma gratuita alguém na internet. A falta de respeito pelo próximo passou a ser encarada como liberdade de expressão.

E vocês, como lidam com este género de comentadores nos vossos blogues?joshua-gandara-xxn48oa73sM-unsplash.jpg

Imagem: Joshua Gandara / Unsplash

 

4 comentários

  • É isso mesmo, há outra frase que diz "O problema do mundo de hoje é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas e as pessoas idiotas estão cheias de certezas". Quem nunca faz perguntas, quem nunca critica os outros, quem concorda com tudo, é porque não percebeu nada sobre o assunto, não tem conhecimentos para questionar, ou porque não interessa criticar.

    Só acho que muitos que lêem não querem aprender nada mas divertir-se e diversões não faltam!

    Há alguns que se consideram superiores aos outros e como tal já sabem tudo, não têm nada a aprender com os outros, não querem ver. Há alguns que seguem blogues sem terem mostrado qualquer interesse pelos posts.

    E por vezes interessa considerar comentários críticos como maldosos para censura-los. Disse bem, Precisamos de falar sobre eles. Expô-los. Também o problema está sempre só nos outros, nunca em nós. E dificilmente um "empregado critica o patrão". Afinal quase tudo gira à volta de interesses.

    E por falar em filtragens e em o mundo não é perfeito e está longe de o ser, que é uma frase que eu também digo há algum tempo e por isso faço certas criticas, precisamos também de falar sobre as "filtragens". Sabemos que alguns decidem o que devemos e o que não devemos saber. O que publicam passa a ser a realidade, o que ocultam é como se não existisse quando na verdade existe. Acontece que aquilo que publicam a seguir nós vemos e isso influencia-nos. Também o que eles "filtram", se mostrassem isso iria influenciar-nos.

    Informação é poder e as "filtragens" sempre interessaram. Certas "filtragens" são usadas para distorcer a realidade e influenciar num determinado sentido a sociedade. Podem saber tudo, podem discutir tudo, desde que seja sobre isto e isto e mais isto!

    Mas há respeito pelo próximo ou há as aparências?
  • Imagem de perfil

    Alice Barcellos

    17.10.20

    Admiro os seus comentários, sempre a pôr o dedo na ferida e a levantar questões pertinentes.
  • Podemos mudar de opinião e por vezes isso é bom pois significa que estamos a aprender algo, a evoluir, mas o que digo nos comentários também o digo no meu blogue. Eu sei bem que não interessa que ponham "o dedo na ferida" e levantem questões pertinentes, não interessa que as pessoas pensem e façam perguntas. Interessa que estejam a discutir "o sexo dos anjos", que sejam infantis.

    Mas como disse, tenho seguidores que nunca mostraram qualquer interesse pelos posts, quando isto não faz sentido. Primeiro devem ler os posts, depois comentá-los concordando ou não, e só depois caso queiram, passar a seguir o blogue. E você é uma das que segue o meu blog sem nunca ter mostrado qualquer interesse pelos posts. Eu não tenho problema algum em não ter seguidores.

    De resto há certas coisas que são tão visíveis que só mesmo um "cego" é que não vê! E estou a ver que há muitos.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.