Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Pequeno poema de amor-próprio

11.11.20 | Alice Barcellos

Olha, olha bem para ti, sem vergonha, sem medo

Quantas vezes já pensaste que não eras suficiente?

Quantas vezes desististe cedo, cedo demais?

Olha para ti e encontra unicidade em cada traço do teu rosto

Capacita-te de que és perfeito em todas as curvas e arestas

Não tenhas medo de mergulhar de cabeça no que és

Vais ficar surpreendido com a riqueza que se esconde nas frestas

Que não queres mostrar, que a sociedade não te deixa mostrar

Desde sempre que nos tentam encaixar em padrões

Desde sempre que nos querem moldar à imagem de outros

Para que aos outros agrademos em diversas situações

Mas esquece o outro e olha só para ti

Aprende a amar-te, mas amor verdadeiro

Aquele que para ser inteiro tem de passar pela aceitação

E pela compreensão de quem realmente és

Não é um caminho fácil, pois ninguém te vai ensinar

Há pessoas que passam uma vida inteira sem (se) amar

Sem perceber que o amor-próprio é porta de entrada

Para a confiança, o equilíbrio e o espanto

Quando atingimos este amor sem data para acabar

Tudo na vida passa a ter mais encanto

wyron-a-n2PMAQxi-GM-unsplash.jpgImagem: Wyron A / Unsplash

Desafio de escrita Passa-palavra da Mel e da Mula. Palavra da semana: amor.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.