Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Sociedade secreta da esperança

23.03.20 | Alice Barcellos | ver comentários (13)
A cidade estava silenciosa, como nunca antes havia estado. Amanhecia e o contorno dos arranha-céus começava a desenhar-se contra a luz violeta. Desde que se vivia em isolamento, ninguém começava o dia antes do sol raiar. As pessoas mudaram as rotinas, muitas trabalhavam (...)

Desalinho

18.02.20 | Alice Barcellos | ver comentários (6)
Podemos escrever uma história de amor Com apenas uma linha? Que disparate, respondias sempre que eu te fazia esta questão Desalinhada, deixavas-me assim sem chão e eu a tentar equilibrar-me numa linha Sabes aquelas pessoas que fazem vida em cima de linhas finas, lá no alto? (...)

Poemas de amor

11.02.20 | Alice Barcellos | comentar
Gosto de escrever Poemas de amor Sentir aquela dor dos corações partidos Mesmo que o meu esteja em paz Sem conflitos É sempre bonito passar pelo que o outro passou Imaginar o que tanto o destroçou E tentar com versos sentidos Colar um pedacinho de um coração sofrido (...)

Querida, Lili

08.11.19 | Alice Barcellos | comentar
Querida, Lili Quando esta carta chegar a ti, provavelmente, estarás numa brincadeira qualquer pelo jardim, a correr descalça, a brincar de ser sereia na piscina ou a vestir os vestidos antigos, esquecidos nos armários da casa. Pelo que me lembro, estas são algumas das (...)

Aniversário

25.10.19 | Alice Barcellos | comentar
Soprou as velas. Ficou por segundos com a visão baça quando as luzes se acenderam. As palmas e os assobios ainda lhe zumbiam nos ouvidos. Bem como os votos de parabéns, as últimas frases da canção e o “pede um desejo”, quando estava a soprar as velas. Porra. (...)

Nós

14.02.13 | Alice Barcellos | comentar
Nós não sabemos o dia exato em que começamos a namorar mas sabemos o local exato onde demos o primeiro beijo. Não sabemos ao certo há quanto tempo estamos juntos mas parece que foi ontem que nos conhecemos. Não somos almas gémeas porque não acreditamos nisso mas (...)

Último mergulho

25.10.11 | Alice Barcellos | ver comentários (1)
Eles resistiram Ao sol abrasador do meio dia Aos choros e gritos das crianças Aos vendedores ambulantes Às bolas perdidas Eles olharam de frente o sol Não recearam os seus raios Não tiveram medo das ondas Nem das rochas Mergulharam com todo O seu fôlego Quase que (...)