Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Desalinho

18.02.20 | Alice Barcellos | ver comentários (6)
Podemos escrever uma história de amor Com apenas uma linha? Que disparate, respondias sempre que eu te fazia esta questão Desalinhada, deixavas-me assim sem chão e eu a tentar equilibrar-me numa linha Sabes aquelas pessoas que fazem vida em cima de linhas finas, lá no alto? (...)

Poemas de amor

11.02.20 | Alice Barcellos | comentar
Gosto de escrever Poemas de amor Sentir aquela dor dos corações partidos Mesmo que o meu esteja em paz Sem conflitos É sempre bonito passar pelo que o outro passou Imaginar o que tanto o destroçou E tentar com versos sentidos Colar um pedacinho de um coração sofrido (...)

Não dá para voltar atrás

09.01.20 | Alice Barcellos | ver comentários (6)
Chegar até aqui e ver com os nossos próprios olhos o que é isto não se compara com tudo o que nos disseram. É quase como visitar aquele lugar que ouviste falar e viste imagens na internet milhares de vezes. Quando chegas lá e vês com os teus próprios olhos, tens (...)

Santiago de Compostela: Peregrinação às tapas

23.12.19 | Alice Barcellos | comentar
Sou daquelas pessoas que acredita até ao último momento que o tempo vai ficar melhor quando tenho uma viagem marcada. Mesmo sabendo que as previsões apontam para dias de chuva, há sempre aquela voz interior otimista que tenta convencer-me de que um sol radiante pode (...)

Amores impossíveis

21.12.19 | Alice Barcellos | ver comentários (4)
A chuva caía incessantemente há semanas – ou seriam meses? A cidade vestia-se de cinza, os carros passavam silenciosos, deslizando na estrada molhada, as lojas recolhiam as bancas e desligavam a música, as pessoas andavam cabisbaixas e escondiam a palidez das faces (...)

Uma rosa em Nova Iorque

13.12.19 | Alice Barcellos | ver comentários (2)
Nova Iorque no verão pode ser sufocante. As ruas de Manhattan estão apinhadas de gente, erguem-se arranha-céus para onde quer que se aponte o olhar. O cheiro a suor no metro é difícil de aguentar e eu arrasto-me até ao nosso pequeno flat para tentar refrescar-me e (...)