Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Tive uma ideia. E agora?

03.04.20 | Alice Barcellos | ver comentários (9)
Nem sempre é fácil ter uma ideia. Quer dizer, ter ideias é fácil, passamos a vida a tê-las. O que são os nossos pensamentos senão ideias que lutam entre elas em busca do protagonismo no nosso interior silencioso até conseguir sair "cá pra fora" para pôr-nos a (...)

Risco

04.02.20 | Alice Barcellos | ver comentários (2)
Tentamos sempre não cair Viver com os pés no chão e a cabeça levantada Passamos a vida a driblar rasteiras Temos medo do risco, este risco traçado em giz no quadro negro dos anos Escrevemos uma lista das nossas vitórias e das quedas que não demos Vamos andando por (...)

Luz e sombra

15.01.20 | Alice Barcellos | ver comentários (4)
Sentado no seu banquinho portátil, ele esperava, pacientemente, pela passagem do tempo. Afagava levemente a barba e brincava com os dois anéis de prata que trazia sempre na mão direita. A experiência tinha lhe dado uma das competências mais importantes da sua arte: (...)

Anúncio de emprego

26.12.19 | Alice Barcellos | ver comentários (2)
A loja estava fechada. A penumbra acentuava o silêncio e os poucos raios de sol que conseguiam furar entre as cortinas cor de vinho faziam ver o pó que se acumulava em cima dos brinquedos. As bonecas de porcelana perdiam o brilho, os ursos de pelúcia cheiravam a mofo, os (...)

Amores impossíveis

21.12.19 | Alice Barcellos | ver comentários (4)
A chuva caía incessantemente há semanas – ou seriam meses? A cidade vestia-se de cinza, os carros passavam silenciosos, deslizando na estrada molhada, as lojas recolhiam as bancas e desligavam a música, as pessoas andavam cabisbaixas e escondiam a palidez das faces (...)

Aqueles pássaros não se calam

06.12.19 | Alice Barcellos | ver comentários (2)
A cela era um cubículo sombrio e imundo no qual nenhum ser ou coisa deveria estar. No entanto, lá estava ele. Ora nu, ora em farrapos, era para ali atirado como um saco de lixo, depois dos intermináveis interrogatórios. Isso para não falar na tortura. Algo que nunca (...)