Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Primavera

20.03.21 | Alice Barcellos | ver comentários (8)
Perguntaram-me o que era a poesia Não soube responder Senti que deveria escrever Porque como uma flor que começa na terra A poesia começa nas palavras Será mesmo assim? A poesia começa antes das palavras Nessa mesma flor, nessa mesma terra No céu, no mar, no pássaro (...)

O meu reino

01.03.21 | Alice Barcellos | ver comentários (5)
O meu reino é feito de areia e água Talhado pelo sol e pelo vento Espaços abertos onde se dissolve a mágoa Fechando os olhos se perde a noção do tempo   Aqui os castelos são movediços Dunas que se deslocam devagar Descalça, não há sentimentos postiços Caminha-s (...)

O retrato

24.02.21 | Alice Barcellos | ver comentários (4)
"Sente-se aqui, minha filha". A menina sentava-se, tentando ficar quieta para o retrato, o que não era fácil quando se tem dez anos. Do outro lado, a avó, compenetrada, afiava o lápis de ponta macia que escorregava bem no papel. Depois, levantava o lápis no ar, na (...)

Sorrir faz sorrir

22.02.21 | Alice Barcellos | ver comentários (6)
Gostava de te fazer sorrir como quando ligas a rádio e está a tocar a tua música favorita Como quando estás a pensar numa pessoa e ela liga ou manda uma mensagem Como quando encontras o teu nome escrito numa loja ou numa parede Ou quando encontras uma nota de cinco (...)

Feliz ano velho novo

12.01.21 | Alice Barcellos | ver comentários (11)
Era um daqueles fins de tarde de inverno em que o brilho do sol fazia estalar o ar limpo e frio. O mar estava excecionalmente calmo, uma piscina cuja borda era a linha do horizonte, tão reta e sempre longe. Enquanto o astro rei se preparava para mergulhar naquela piscina (...)

A velha e o lobo. Um conto de Natal

19.12.20 | Alice Barcellos | ver comentários (13)
Dedicado a todas as pessoas que este ano passam o Natal sozinhas O dia amanheceu cinzento e frio. O nevoeiro escondia os cumes das altas montanhas pintados de branco. Não se viam, pois eram mestres em ser invisíveis, mas os lobos andavam ativos pelas serras, à procura de (...)

O sumiço

18.11.20 | Alice Barcellos | ver comentários (10)
Sumiu! Uns dizem que fugiu. Outros dizem que pulou de um precipício. Todos querem descobrir onde esteve, com quem privou, o que disse. O D ofereceu-se como detetive, o C chorou, o R riu e o Z... zzzzzzz. Dizem que cultivou inimigos por ser pioneiro, fez fretes e ficou sem (...)

Pequeno poema de amor-próprio

11.11.20 | Alice Barcellos | comentar
Olha, olha bem para ti, sem vergonha, sem medo Quantas vezes já pensaste que não eras suficiente? Quantas vezes desististe cedo, cedo demais? Olha para ti e encontra unicidade em cada traço do teu rosto Capacita-te de que és perfeito em todas as curvas e arestas Não (...)

A história de uma onda

07.11.20 | Alice Barcellos | ver comentários (10)
Nasci numa imensidão azul sem terra que pudesse ser vista. Mas o vento, meu pai, empurrou-me na direção certa. Sabia que este dia iria chegar, o dia em que sairia do âmago da minha mãe, o oceano, e iria cumprir a minha missão. Quando nasci era pequena, ainda não me (...)