Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Manhãs de recomeço

27.09.18 | Alice Barcellos | ver comentários (2)
Manhãs. Adoro manhãs. O dia que começa quando abrimos os olhos, a luz que clareia quando abrimos as janelas. Em todas as manhãs podemos encontrar o ímpeto de recomeçar. Principalmente naquelas em que nos levantamos cedo e cheios de disposição. Ninguém tem vontade (...)

Outono

11.10.16 | Alice Barcellos | comentar
É sempre a mesma coisa. Mudam as estações, muda o guarda-roupa e temos a tarefa chata de arrumar as vestimentas. Hoje comecei a guardar religiosamente os meus vestidos de verão, como se ali em cada vinco e dobra pudesse guardar um bocadinho também dos dias longos e (...)

Agosto, o melhor mês para... trabalhar

05.08.15 | Alice Barcellos | ver comentários (6)
Há alguns anos que não tiro férias em agosto. A decisão não fez parte de nenhuma posição fundamentalista ou anti-social, muito pelo contrário, gosto de trabalhar no mês em que (quase) toda a gente vai de férias. Gosto de ver a cidade cheia de turistas e de (...)

Sonho de Primavera

30.03.15 | Alice Barcellos | comentar
É uma casa simples. Térrea com pátio à frente e jardim atrás. Se tiver mais um andar, que seja um sótão. É uma casa com grandes janelas abertas para o sol de Inverno e de Verão. Tem um sofá aconchegante e uma lareira. Duas ou três estantes cheias de livros. Uma (...)

Vamos falar do tempo

27.03.15 | Alice Barcellos | comentar
E o peso de notícias tão carregadas dissolve-se nos ponteiros do relógio. A hora muda e traz com ela os verdadeiros dias de Primavera, que anunciam o Verão a cada crepúsculo mais tardio. A vida continua e é preciso adiantar os ponteiros para esquecer as tragédias de (...)

O verão que não foi

22.09.14 | Alice Barcellos | comentar
Acabou o verão e ainda tenho fome de mar, desejo de sol e sede de mergulhos. É a primeira vez, que me lembro, de não receber bem o outono, e as suas promessas de folhas douradas, castanhas assadas, tartes de maçã cheirosas e dias cinzentos. Acontece que este verão (...)

Debaixo do meu guarda-chuva

22.01.14 | Alice Barcellos | comentar
São dias a preto e branco. Formas difusas, cores esbatidas, os traços finos dos galhos secos das árvores marcam um céu sem cor. São como centenas de dedos com unhas enormes que arranham o firmamento. Tentam rasgar este cenário tão pálido para ver se por trás está (...)