Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

A aula de dança

10.07.20 | Alice Barcellos | ver comentários (2)
Miyuki fazia sempre o mesmo caminho até aos antigos armazéns onde tinha sentido o gosto da liberdade e experienciado a esperança em forma de abraço. Desde aquele dia não conseguia manter-se muito longe do lugar que guardava, ao mesmo tempo, tantas sombras e luz. A (...)

Vou ali e já venho

21.05.20 | Alice Barcellos | ver comentários (6)
Miyuki levantou-se cedo naquele dia fresco de início de primavera. Ao longe, ouvia-se o canto dos rouxinóis e ela podia sentir o perfume das cerejeiras em flor a entrar pelas janelas do apartamento. Ligou o computador e esteve a apreciar a câmara que mostrava a sakura em (...)

Sociedade secreta da esperança

23.03.20 | Alice Barcellos | ver comentários (13)
A cidade estava silenciosa, como nunca antes havia estado. Amanhecia e o contorno dos arranha-céus começava a desenhar-se contra a luz violeta. Desde que se vivia em isolamento, ninguém começava o dia antes do sol raiar. As pessoas mudaram as rotinas, muitas trabalhavam (...)

O aquário

26.09.13 | Alice Barcellos | ver comentários (1)
O aquário no canto da secretária era uma fuga das horas que se arrastavam até ao fim do turno. Aquele globo era um pequeno mundo à parte onde só havia água, uma planta de plástico e os dois peixinhos cor de laranja. Os peixes não tinham nome e nem significavam muito (...)

Segunda-feira

29.04.13 | Alice Barcellos | comentar
O despertador tocou para mais uma segunda-feira. Saltou da cama, como sempre fazia, mas sentiu um enorme cansaço. Sentiu-se cansada da vida, da rotina, de todos os dias parecerem sempre segunda-feira. Dirigiu-se para a casa de banho para lavar a cara com água fria, como (...)

Encontro no aeroporto

17.10.11 | Alice Barcellos | comentar
O voo havia atrasado mais de três horas. O seu laptop já estava sem bateria e tinha esquecido o kindle em casa. O iphone não apanhava wireless. Já tinha corrido todas as lojas e feito um lanche. Não havia mais nada para fazer, a não ser esperar. Andou pelos (...)