Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

Diário de fuga

Na rotina dos sonhos fugimos dos dias

O adeus a um dos símbolos de Amesterdão. Faz sentido?

06.12.18 | Alice Barcellos | comentar
Foram removidas, esta semana, as letras vermelhas e brancas que se tornaram, ao longo da última década e meia, uma das atrações mais famosas de Amesterdão.   As letras que, em conjunto, formavam o slogan I Amsterdam já não fazem mais parte do enquadramento das fotos (...)

E tu, onde estavas a 15 de outubro?

15.10.18 | Alice Barcellos | comentar
É comum lembrarmo-nos de onde estávamos e do que estávamos a fazer no dia de grandes tragédias. Tantas vezes já ouvi "lembro-me perfeitamente do que estava a fazer quando aconteceu o 11 de setembro" que serve de mote para depois se falar mais uma vez dos atentados que (...)

E se esta gente toda tivesse ido às urnas?

07.10.15 | Alice Barcellos | ver comentários (9)
Sei que já passaram alguns dias, o que no imediatismo virtual no qual vivemos é muito tempo, mas não consigo deixar de pensar nos números da abstenção nestas eleições. Eu, otimista quase inabalável, julgava que, fruto da dureza dos últimos quatro anos, os (...)

Os novos muros da Europa

01.09.15 | Alice Barcellos | comentar
A História ensina-nos sempre lições e mostra-nos como o tempo é algo tão relativo. No ano passado, assinalaram-se 25 anos da queda do Muro de Berlim. Fizeram-se reportagens, entrevistas sentidas, reconstituições da data; líderes políticos passaram mensagens de paz (...)

A vida como ela é

15.01.15 | Alice Barcellos | ver comentários (3)
Foi numa viagem de avião que tive a oportunidade de ver Boyhood. Assim, naquelas horas de espera no céu, o filme pareceu-me uma boa companhia. E foi. Gostei muito do enredo, em que não se passando muitas coisas, passa-se tanto. Vidas que se desenrolam na rotina dos dias, (...)

Pensar fora da caixa

27.11.14 | Alice Barcellos | comentar
A criatividade e a inovação são fatores fundamentais para a evolução. Podemos ter todos os meios à nossa disposição, as mentes mais inteligentes - o que não quer dizer que sejam as mais brilhantes -, e dinheiro de sobra. Não chega. Se não tivermos criatividade e (...)

Debaixo do meu guarda-chuva

22.01.14 | Alice Barcellos | comentar
São dias a preto e branco. Formas difusas, cores esbatidas, os traços finos dos galhos secos das árvores marcam um céu sem cor. São como centenas de dedos com unhas enormes que arranham o firmamento. Tentam rasgar este cenário tão pálido para ver se por trás está (...)